A nanotecnologia usada em películas de controle solar

A nanotecnologia usada em películas de controle solar

A eficiência energética das edificações encontra ótima resposta nas películas de revestimento dos vidros, recurso que retêm grande parte dos raios solares, sem alterar a estética das fachadas. Segundo Laureano Silva, gerente da Divisão de Energias Renováveis da 3M Brasil, o crescimento do uso do produto no mercado brasileiro decorre da amplificação do conceito de sustentabilidade na construção civil. “Os profissionais do setor têm sido os precursores de movimentos em busca da melhor relação produtividade x sustentabilidade, independente do segmento a que se destinam as edificações”, diz ele.

As películas de controle solar asseguram conforto térmico, eficiência energética, redução de consumo de energia elétrica com o ar condicionado e iluminação natural. “Hoje, existem películas que proporcionam 99,9% de retenção dos raios ultravioleta (UV) e 97% de retenção dos raios infravermelhos (IR), com luz visível transmitida (transparência) de 68%”, explica.

Nanotecnologia

Por trás desses índices que evidenciam a performance do material está a nonotecnologia. “As películas são desenvolvidas a partir da nanotecnologia, que resulta em filmes multicamadas, totalizando 240 nanofilms numa única película”, destaca Laureano Silva. Em testes realizados pela empresa, foram obtidas diferenças de temperaturas de até 15 graus centígrados em ambientes com películas e sem películas. “Isto nos dá segurança para especificarmos as películas quando a necessidade é eficiência energética e conforto térmico”, afirma, acrescentando que o produto contribui para melhorar ainda mais o desempenho dos vidros laminados e refletivos.

Quando aplicados em vidros ‘float’ (simples), os filmes de proteção solar evitam o desagradável efeito espelho, característico dos vidros refletivos. “Os filmes da linha Prestige, produzidos a partir da nanotecnologia, não possuem metal em sua composição, o que minimiza o efeito ‘espelho’ produzido pela metalização de películas convencionais para obterem performance”, comenta. Ele menciona outra linha de película que, por sua tecnologia, permite a quem está no ambiente ver de dentro para fora através do conjunto vidro + película, mesmo à noite, com as luzes acesas.

A nanotecnologia vai além, ao criar um filme que cumpre, ao mesmo tempo, as funções de eficiência energética conforto térmico e segurança (anti-vandalismo). Trata-se de uma película que combina 39 nanocamadas, com 0,15 mm de espessura. “Esse produto figura como o de maior resistência ao rasgo ( 354 kg ) e resistência ao impacto (55kg.m). Essa é a melhor relação entre performance e segurança”, ressalta.

Decorativas

Nos ambientes, ou mesmo aplicadas na face interna dos vidros das fachadas, as películas decorativas também ganham espaço na arquitetura. Funcionam como elemento inovador do design, garantindo privacidade e exclusividade. De acordo com o gerente, essa é uma opção que racionaliza tempo de entrega da obra e reduz custos de projeto. São produtos que, assim como as películas de controle solar, têm garantias que vão de 10 a 15 anos.

Tanto as películas de controle solar, quanto as decorativas, adicionam valor e benefício à obra. “Por isso, tomamos todos os cuidados em treinar e capacitar nossos parceiros na especificação, projeto, manuseio e aplicação”, revela o gerente, recomendando que a manutenção deve ser feita com sabão neutro e pano macio. Se houver necessidade de substituir parcialmente as películas, o ideal é que o serviço seja feito por profissionais treinados e capacitados.

Energias renováveis

A 3M criou, em novembro de 2008, uma nova divisão de negócios, a de Energias Renováveis. A área é responsável pelo fornecimento de insumos para equipamentos de geração de energia solar e eólica. “A decisão da empresa é reflexo das novas oportunidades de negócios neste segmento e, também, de um alinhamento com a política corporativa de ações voltadas à preservação do meio ambiente e pela sustentabilidade”, explica Laureano Silva.

“O Brasil possui um dos maiores potenciais eólicos do mundo e excelente exposição ao sol para a geração de energia. Isso vem estimulando várias indústrias do setor a investirem no País. Além disso, o Brasil é pioneiro no uso de biocombustíveis, segmento da matriz energética que também será foco da Divisão  de Energias Renováveis da 3M em 2009”, antecipa o gerente.

 

 

Share

Deixe uma resposta